Início Notícias Universidade Mackenzie inaugura núcleo de Design Inteligente

Universidade Mackenzie inaugura núcleo de Design Inteligente

Cofundador da Origem em Revista conta como foi participar do evento

233
0

Nos dias 5 e 6 de maio, a Universidade Presbiteriana Mackenzie inaugurou um núcleo de pesquisa interdisciplinar, o Discovery-Mackenzie. O núcleo é resultado de uma parceria entre a instituição brasileira e o Discovery Institute, um instituto norte-americano com sede em Seattle, Washington, que promove o estudo da Teoria do Design Inteligente (TDI).

O objetivo do Discovery-Mackenzie é promover estudos científicos com focos em complexidade e informação na busca de evidencias que apontem para a ação de processos naturais ou design inteligente na natureza. Para isso, o núcleo coordena ações que fomentem a pesquisa científica e sua divulgação, além de organizar encontros científicos e cursos de capacitação e produção de materiais de divulgação científica e de cunho educacional, mantendo intercâmbio de conhecimento e pessoal com o Discovery Institute (USA) e outros centros afiliados.

Além da inauguração, houve um treinamento gratuito sobre a Teoria do Design Inteligente ministrado pelo bioquímico Dr. Michael Behe (EUA), pelo biólogo Molecular Dr. Douglas Axe (EUA), pelo presidente do DI-USA Steven Buri e membros da TDI Brasil.

O cofundador e editor-chefe da Origem em Revista, MSc. Everton Alves, participou do evento e nos conta como foi essa experiência:

“O evento de inauguração do Discovery Mackenzie foi muito contagiante. Para mim, pessoalmente, me revigorou, me inspirou e me motivou a crer que estamos em um período da história em que é crucial a abertura ao diálogo de ideias concorrentes ao paradigma científico.Eu, como defensor e proponente do design inteligente, entendo a TDI como a melhor inferência para a explicação de certas características da origem da vida e do universo e que trará, seguramente, o verdadeiro progresso científico. A biologia, principalmente no campo das ciências históricas, há muito tem estado estacionada em termos de argumentos e modelos científicos; são bilhões gastos em pesquisas que resultam em artigos ditos ‘científicos’ que nada trazem de novo. O stabeleshment científico teima em não se abrir a mudanças, a novas ideias, embora os pilares da teoria sintética da evolução estejam se fragmentando pouco a pouco. Dessa forma, dou as boas-vindas ao Núcleo de estudos e pesquisas interdisciplinares Discovery-Mackenzie que chegou em boa hora, para dar suporte a ciência com ‘C’ maiúscula, como costuma dizer o presidente da TDI-Brasil Dr. Marcos Eberlin. O evento foi sensacional!”.

Print Friendly, PDF & Email
COMPARTILHAR
Rafaela Garcia

Rafaela Garcia reside em São Paulo, é cristã protestante, jornalista e tem atuado na área de assessoria de imprensa. Em 2015, idealizou e criou como projeto de conclusão de curso a Revista Bereshit, uma publicação que abordou o diálogo entre a fé e a ciência, onde todos os conteúdos apresentaram o ponto de vista científico e o da fé sobre o mesmo tema, com uma linguagem acessível e dinâmica. Desde então, tem buscado divulgar conteúdos que comprovam que a fé a ciência não se invalidam, que podem caminhar juntas.